top of page

Crescimento de plantas aquáticas prejudica turismo no Rio Tietê em Barra Bonita

Moradores da região se espantaram com a cor do rio, que está verde. Eles têm reclamado que o crescimento das plantas aquáticas causa mau cheiro na região.


Os moradores de Barra Bonita (SP), estância turística do centro-oeste paulista, têm reclamado do mau cheiro do Rio Tietê, que atravessa a cidade. O rio, considerado o maior do estado, também tem apresentado uma coloração esverdeada, diferente do comum.

De acordo com os habitantes, as características andam prejudicando o turismo na região.



Empresários que trabalham no ramo optam por desviar a rota e fazer passeios de barco com uma duração menor para evitar o desconforto dos passageiros.


Tiago Nascimento, chefe da Secretaria do Meio Ambiente de Barra Bonita, explica que isso se deve à proliferação dos fitoplânctons, que se alimentam de nutrientes derivados de poluentes.

“Os organismos se alimentam da poluição, que, por muitas das vezes, é proveniente da capital. Quando há uma grande carga, ele se prolifera desenfreadamente. Além da fotossíntese, ele faz essa troca pelo oxigênio dissolvido na água, e a bactéria causa o mau cheiro”, diz.

Ele ainda reforça que a prefeitura tem feito esforços para combater os resíduos indesejados, que estão afetando a qualidade da água do Rio Tietê.

“Em Barra Bonita, monitoramos o rio para ficarmos alerta em um possível início de caso de mortandade de peixes e acionar os órgãos competentes. Também informamos ao estado a concentração de algas que está sendo encontrada neste trecho do rio, que é muito utilizado”, reforça.


“O turismo tem sido muito prejudicado. O evento de floração de algas dos fitoplânctons era muito menor, porém, com o aumento de poluição no rio vindo das grandes cidades, tudo tem acontecido com mais frequência. Atrapalha bastante, os pescadores utilizam o rio como meio de vida”, complementa.


Fonte: G1.

2 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page